Destaque

‘‘Assunto de Família’’ mostra outra realidade do Japão

Por Lola Dias, 05 de janeiro de 2019

O filme vencedor de uma Palma de Ouro tem uma história para contar. No começo de ‘‘Assunto de Família’’, o telespectador pode sentir uma certa estranheza por conta de uma cultura oriental mostrada no longa. Estamos tão acostumados com grandes produções de Hollywood que, quando Hirokazu Kore-eda nos apresenta, à primeira vista, a simplicidade de uma família tradicional japonesa, ficamos assustados e, de certa forma, um pouco incomodados. O subúrbio japonês retratado em ‘‘Assunto de Família’’ mostra aos ocidentais mal-acostumados com o falso glamour do lado de lá do globo terrestre, que há semelhanças entre a pobreza oriental e ocidental.

A família composta por Osamu Shibata (pai), Nobuyo Shibata (mãe), Shota (filho), Aki Miyabe (filha) e Vovó (avó) se mostra normal no início da trajetória, mas, com o passar do tempo, toda a família é desmascarada e cada um se mostra uma pessoa diferente daquela representada e apresentada no começo da narrativa, fazendo com que o telespectador descubra que todos são enganadores. Apesar disso e do que os une, o afeto que um tem pelo outro faz com que o telespectador torça pela família.

O longa tem uma ótima fotografia, assim como a produção e a pós, o jogo de câmeras e, claro, a atuação de cada um. O destaque fica para Sosuke Ikematsu que se mostra muito bom em convencer o telespectador e a fazer com que a empatia seja um sentimento comum entre quem assiste aos pequenos furtos de Shota – nome do personagem de Ikematsu.

Apesar de todos os erros cometidos por todos da família e do desfecho do longa, a lição maior fica evidente em praticamente todos os momentos de ‘‘Assunto de Família’’: uma família não precisa ser composta de pais e irmãos de sangue, ela pode constituída por quem quer que seja contanto que exista afeto, carinho e amor.

Texto: Lola Dias

Fotos: Reprodução/Divulgação

Tag:filme, estreia, assunto de família,

Pedir Música